ILUMINADO

Imagem

Hoje o sol bateu na minha janela

sorriu, matreiro e manhoso,

nos lábios teus.

Sol, escancarado em sorriso,

clareou o verão que agora brilha.

 

Clau Assi

Anúncios

15 responses

  1. Teu sol confunde-me
    O brilho dele
    Nos olhos teus
    Sao o reflexo dos meus?
    O sol brinca com o sentimento
    Quando deveria devolver
    O brilho que rouba dos teus…

    1. Ahhhh comentário com poema?? Assim emudeço. Que coisa mais linda, Rê. Esse é um lado que você escondia na época da faculdade, hein?? Lindo!! Beijo grande.

  2. muito bonito Clau!!! um beijo

  3. Adorei. Sol de dentro, sol de fora. De repente, a gente cora. Bjs!

  4. Amiga querida… teus versos enfeitam nossos dias com mais alegria e amor. Lindo! Beijos – Damáris

  5. Clau, o sol vem sempre com “um sabor” de sorriso mesmo. Vamos cumprir nossa promessa e difundir o sorriso !?
    Iluminada a sua ideia dessa figura na postagem. Ficou muito linda.
    Um beijo ternurento,
    Manoel

    1. Simbora, Manoel. Difundir sorrisos e poesia. A recompensa haverá de ser recebê-los igualmente. Que mais haveremos de querer.
      As imagens colho passeando pela internet… ora escrevo os versos e procuro por elas, ora encontro as imagens e as transformo (ou tento) em versos.
      Vamos lá.
      Beijo ternurento. Obrigada pela visita.

      1. Clau, eu acho maravilhoso esse dom que você tem de achar uma figura e fazer versos. Não vou dizer que eu seja insensível a isso porque sinto as vibrações que o poema transmite, mas não sei compor. Só sei ler, sentir e curtir a sensibilidade de vocês. Meu coração gosta disso.
        Um beijo ternurento,
        Manoel

      2. Uaiiii e isso é poesia pura… tanta gente só sabe manusear direitinho as palavras… tão triste… escrever livres dos sentires… sei lá… Claro que muitas vezes brinca-se com as palavras… cria-se… mas nunca sentir nada através delas? Nunca… nunca? Parece tão triste.

      3. Uaiiii e isso é poesia pura… tanta gente só sabe manusear direitinho as palavras… tão triste… escrever livres dos sentires… sei lá… Claro que muitas vezes brinca-se com as palavras… cria-se… mas nunca sentir nada através delas? Nunca… nunca? Parece tão triste.
        Clau, é triste mesmo. É até impossível. Só é possível quando é forçado para fins comerciais. Fica sem graça!
        Um beijo ternurento,
        Manoel
        PS: Roubei esse espacinho para responder seu comentário, kkk!

      4. Pois é, Manoel, quando a poesia serve para interesses outros que não o emocionar, o refletir fica mesmo sem graça.
        Oia…. de sol e sorrisos já estamos em filosofia… risos.

      5. Clau, pior que eu gosto de bater um papo e de Barueri eu só conheço os times de voleibol. Muito bons por sinal.
        A culpa desse bate-papo é o danado do “ternurento”, kkk!
        Um beijo ternurento,
        Manoel

      6. E eu não sei nada de voleibol…. mas Barueri é minha cidade do coraçao… me acolheu ainda muito criança. Um beijo ternurento, Manoel. Até… vou me retirar… amanhã aulas às sete.

  6. Clau, adorei o seu poema ao sol, ou seria aos lábios, rsrs..
    Eu criei um site chamado: Diário do Escritor. Vou divulgar seu blog nele, tudo bem: Aproveita e faça uma visitinha.
    http://www.diariodoescritor.com.br
    Beijão.

    1. Obrigada pela visita, Paulinho Dhi Andrade. Será uma honra ter meu blog no seu site. Farei uma visita em breve. Abraços.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: